A História do Homem-Elefante

Era um homem enorme: um exagero anatómico. 

No bairro diziam que ele parecia um elefante, devido ao tamanho excessivo do seu corpo. 

Elefante é um mamífero de grande porte da família Elephantidae. O Homem-Elefante é também um mamífero. Há, portanto, apesar das visíveis diferenças, semelhanças a um nível mais profundo, mais elementar. 

O Homem-Elefante, apesar do seu porte animalesco, do volume exagerado dos seus ossos e músculos, mexe-se com precisão matemática. Os seus movimentos parecem desenhados a régua e esquadro; os passos do Homem são leves, como os de um bailarino.

*

O Homem-Elefante é dono de uma loja de loiças.

Vende pratos com cornucópias roxas desenhadas, jarrões com motivos primaveris, bules de porcelana chinesa. Os corredores entre as prateleiras – onde estão expostos os objectos – têm cerca de um metro de largura. Todos os dias aquele Homem enorme se move entre os estreitos espaços vazios sem tocar no que quer que seja. 

As pessoas do bairro dizem que é magia.

Todos os dias os homens apostam que algo irá cair e partir-se. 

Todos os dias os homens esperam o barulho da loiça a estilhaçar.

Todos os dias o Homem entra na loja de manhã e sai ao final da tarde: apenas o silêncio e o desespero dos homens se propagam. 

*

Um dia, há uma enorme explosão no bairro.

Há bocados de vidro por todo o lado, barulhos de sirenes, restos de agregados e gritos.

Os homens falam uns com os outros, assustados. As suas vozes tremem. 

A vibração causada pela explosão propaga-se até à loja do Homem-Elefante, seguindo a densidade do chão, subindo as prateleiras de metal e madeira, chegando à cerâmica. 

Todos os objectos tremem e alguns caem no chão. Partem-se.

Ninguém liga ao sucedido (a não ser o Homem-Elefante, que varre os cacos e os deposita no caixote do lixo).

No final da tarde o Homem sai, com a mesma elegância de qualquer outro dia, da loja. 

A caminho de casa cumprimenta os homens ainda aturdidos com um gesto saído de um manual de geometria.

O caos é inevitável: uma lei universal. 


Deixe uma resposta